Número 16, abril - maio 2003.
LA INVESTIGACIÓN EN GESTIÓN DE LA INNOVACIÓN>>Versão em portuguê
 
         
 
  Espaço de debate:

Gestão estratégica da tecnologia e economias de alcance

Neste trabalho defendemos que os clusters tecnológicos potenciam a dinâmica de cooperação e permitem uma melhor articulação dos Sistemas de Inovação. Ao juntar agentes relacionados com todas as actividades da cadeia de valor, desenvolvem uma massa crítica capaz de atrair os inputs que requerem as actividades e projectos de I+D+I dos sectores de alta tecnologia. Em particular, vamos centrar-nos na incidência de que a localização de tais clusters têm um recurso chave, o conhecimento tecnológico. Após descrever sinteticamente o processo de gestão estratégica da tecnologia, e depois de estudar as suas analogias com os denominados sistemas de gestão das actividades de I+D+I, recentemente formalizados através da norma UNE 166002 EX, analisaremos como o citado processo pode ver-se beneficiado pelas economias de alcance.

Carlos A. Benavides Velasco
Cristina Quintana García

A investigação em Gestão da Inovação

Neste artigo discutem-se e analisam-se os principais problemas que têm sido apresentados à investigação em Gestão da Inovação (GI) na actualidade. Para isso, em primeiro lugar, delimita-se e expõem-se as características mais relevantes deste campo de estudo. Seguidamente, descreve-se a evolução que experimentou a GI como disciplina científica identificando os principais enfoques do estudo e aspectos investigados. Na terceira parte, apontam-se as tendências actuais na investigação GI. Por último, recolhem-se as principais fontes de informação para o estudo da GI no que respeita às revistas académicas.

Mariano Nieto Antolín

A gestão de I+D partilhada. Características da cooperação entre empresas e organismos de investigação

Na actualidade, a colaboração entre diferentes tipos de organizações constitui um elemento fundamental no desenvolvimento das estratégias tecnológicas. Nas últimas décadas, vem-se a observar um importante crescimento no número de acordos de cooperação e tecnologia, devido fundamentalmente à impossibilidade que têm as empresas para gerar internamente todas as tecnologias que necessitam. Neste quadro, a necessidade de uma efectiva colaboração entre as empresas e os organismos de investigação provocou uma mudança de cultura assumindo que a cooperação entre as partes constituem uma obrigação social.

Luis Ángel Guerras Martín
Mª Ángeles Montoro Sánchez
Eva María Mora Valentín


As novas ferramentas de gestão dos intangíveis: uma aplicação ao sector da automatização.

Perante as mais profundas e velozes mudanças que se estão produzindo no meio envolvente das organizações, estas devem responder com adequadas ferramentas de gestão dos intangíveis que se dispõem com o objectivo de manter ou incrementar as suas vantagens competitivas. Desta forma, o apoio à inovação, à aprendizagem, ao papel dos dirigentes, à estrutura organizacional, às relações com os clientes, à flexibilidade organizacional, ao trabalho em equipa, ao acesso à informação, à formação e à gestão do conhecimento vão converter-se nos dez mandamentos que as empresas devem seguir se pretendem alcançar estas vantagens. Neste trabalho analisámos, através do estudo de casos, como um concessionário da Citröen aplica estas ferramentas.

Juana Cecilia Trujillo Reyes
José Miguel Rodríguez Antón


Investigação:

Reivindicação da investigação universitária

Esta contribuição pretende reflectir sobre duas das várias críticas que vimos ouvindo e relacionadas com a actividade investigadora universitária. Por um lado, a da ineficiência do sistema actual de valorização indiscriminada da publicação e por outro lado, a da tensão, nunca superada definitivamente, entre investigação e docência.

José Ramón Casar Corredera

Resultados do estudo realizado nas empresas aragonesas na Internet mediante a elaboração de inquéritos através de meios telemáticos.

O objecto deste estudo é o de conhecer a situação do sector empresarial aragonês na Internet aproveitando as oportunidades que oferece a programação na Internet para a realização de grandes inquéritos com custos reduzidos.
Analisaram-se os aspectos mais determinantes e representativos das organizações aragonesas com presença na Rede, assim como do comércio electrónico em Aragão.

Luis, Navarro Elola
Jesús Pastor Tejedor
Ana Clara Pastor Tejedor

Metodologia e resultados do índice IAIF da inovação regional

Na linha dos recentes trabalhos do Instituto de Análise Industrial e Financeiro (IAIF) destinados a estudar a tipologia dos sistemas regionais de inovação e de estabelecer quais são os factores determinantes da capacidade inovadora nas regiões, os autores procederam à elaboração de um índice que permite quantificar num só valor o nível de inovação das Comunidades Autónomas de Espanha e, por último, observar a evolução do mesmo no período compreendido entre 1994 e 2000.

Mikel Buesa
Joost Heijs
Thomas Baumert
Mónica Martínez Pellitero

Sala aberta:

As Certificações de Projectos de I+D+I: origens e benefícios empresariais

A relação directa entre a capacidade de inovação das empresas e sua competitividade é um facto que hoje em dia não se põe em dúvida. Actualmente, a tecnologia própria e o capital humano são de vital importância para aumentar ou manter a competitividade, incluindo a sobrevivência, por se tratarem dos factores que permitem a uma empresa diferenciar-se do resto das organizações do seu sector, e inclusive a nível general.

Ana M. Sánchez Granados



Agência de Protecção de Dados da Comunidade de Madrid

O autor examina o papel crucial que devem desempenhar as Administrações Públicas na utilização das tecnologias da informação para servir de maneira mais eficaz e equitativa às necessidades apresentadas pelas pessoas.

Antonio Troncoso Reigada


A I+D em números:

Encontro com o futuro: algumas conclusões do foro de biotecnologia Biospain 2003.

Após apresentar as ideas chave que se expuseram no primero foro científico empresarial de biotecnologia (Biospain 2003) que teve lugar em Madrid durante os días 26, 27 y 28 de Fevereiro, o autor deste artigo apresenta contributos de grande interesse que permitem identificar com claridade quais são as possibilidades que reúnem as empresas do sector da biotecnologia em Espanha face às oportunidades e desafios que têm pela frente.

Antonio Mora Guanche