Número 38, setembro-octubro 2006
INVESTIGAÇÃO E PRODUÇÃO CIENTÍFICA >>Versão em português
 
           
 
 

Espaço de debate:

O inquérito de RedOTRI Universidades 2005 sobre a actividade de transferência de conhecimento: contexto internacional

A correcta medição da actividade de transferência de conhecimento das universidades para outras entidades (empresas, fundamentalmente) requer a existência de instrumentos (sondagens) que permitam analisar a evolução do volume da actividade neste âmbito. As Agências de Transferência de Resultados da Investigação (OTRI) das universidades espanholas, agrupadas em RedOTRI Universidades, elaboram anualmente a Sondagem RedOTRI sobre Transferência de Conhecimento e Tecnologia. Uma vez decorridos cinco anos de recompilação ininterrupta de dados, a mencionada sondagem constitui uma das fontes de informação espanhola mais relevantes nesta matéria.

Santiago Romo
Coordinador de RedOTRI–CRUE
Univ. Rey Juan Carlos

Fernando Conesa
Director Adjunto CTT
Univ. Politécnica de Valencia

Constantino Martínez
Secretario Técnico de Red OTRI – CRUE


A patente como instrumento de valorização do conhecimento

O conhecimento está incorporado nas pessoas e nas organizações e possui componentes explícitos que se podem transmitir, mas também outros tácitos que só se aprendem através da experimentação. Hoje em dia não se inova somente a partir dos esforços de I+D, mas também através de ideias e conhecimentos nas distintas relações de cooperação que se estabelecem nas interacções com outras empresas, universidades, centros tecnológicos, etc. Neste trabalho analisam-se as patentes como instrumento de valorização do conhecimento a partir de três aspectos fundamentais: a utilização e o valor das patentes como indicador mais aproximado ao vínculo que se estabelece entre a mudança tecnológica e o desenvolvimento económico; a colaboração tecnológica como processo enriquecedor que resulta da combinação de fontes de conhecimento para a definição de invenções e o desenvolvimento de inovações; e a fuga de cérebros como problemática importante que afecta ao recurso humano dedicado à investigação e desenvolvimento.

Gerardo Penas García
Jefe de la Unidad de Información Tecnológica
Oficina Española de Patentes y Marcas

Niurys Núñez Delgado
E.T.S. de Ingenieros Industriales
Universidad Politécnica de Madrid


A importância da investigação e da transferência de conhecimento na Estratégia de Lisboa

Faz cinco anos que os Chefes de Estado ou de Governo da União Europeia acordaram um ambicioso programa de mudanças; comprometeram-se a fazer da União Europeia a economia baseada no conhecimento mais dinâmica e competitiva do mundo. Hoje, verificamos que nem tudo foram progressos. Ainda que existam muitas das condições essenciais para uma reactivação na Europa. Nas economias avançadas como as da União Europeia, o conhecimento - que engloba a investigação e o desenvolvimento (I+D), a inovação e a educação - é um motor essencial do aumento da produtividade.

Xavier Goenaga
Dirección Espacio Europeo de la Investigación
Comisión Europea

Sala aberta:

Energia. A necessidade de trabalhar em ciência e tecnologia

Encontramo-nos num momento crítico face ao futuro energético, que na sua relação com os temas de ciência e tecnologia se caracteriza por três aspectos: a incerteza no abastecimento de energia no futuro; a previsível incidência negativa da mudança climatérica no nosso meio envolvente e em outros com que directamente estamos relacionados e a situação pouco definida das grandes empresas energéticas.

Emilio Menéndez Pérez
Dr. Ingeniero de Minas
Profesor Honorario de UAM y UPM

Parques Científicos, Centros e Infra-estruturas Tecnológicas: uma proposta de análise “trespassing” entre a economia industrial e a gestão do conhecimento

Neste trabalho abordamos a importância que têm as novas estruturas organizativas de carácter científico-tecnológico para a indústria do futuro. Na primeira parte apresenta-se um grupo específico de infra-estruturas que os agentes introduzem no território. Na segunda, aborda-se um tipo de estrutura organizativa das mais significativas, o parque científico, que surge como mecanismo de interface entre a investigação e a indústria. Finalmente, aportamos um esquema de avaliação e valorização com umas observações finais.

Óscar Rodríguez Ruiz
Universidad Complutense de Madrid